Amar a Deus sobre todas as coisas 

Share Button

Neste texto vamos ver que amar a Deus sobre todas as coisas não significa apenas ter medo de ser castigado por Ele, mas em nos esforçarmos em ser obediente por amor a Ele. Muitas vezes erramos quando queremos que outras pessoas creiam em Deus por causa do medo de ser castigado. Deveríamos falar mais do amor de Deus, e não passar às pessoas a imagem de um Deus carrasco que castiga as pessoas que não lhe são obedientes. Quando focamos o medo, o castigo, não estamos transmitindo o perfeito amor, pois o verdadeiro amor lança fora todo o medo; e quem tem medo não é perfeito em amor. 

O primeiro mandamento é justamente este, amar a Deus sobre todas as coisas, mas ainda hoje existem grandes dúvidas sobre como podemos demonstrar este amor. Sabemos que devemos temer ao Senhor, por sua grandiosidade e poder, mas isso não significa que devemos ter medo, mas sim, fazer o que lhe agrada por amor, por gratidão. Temer a Deus não significa que devemos respeitá-lo com medo de sermos castigados, devemos honrá-lo como um reconhecimento por seu infinito amor. Quando entendemos isso, fica mais fácil aplicar o mandamento de amar a Deus sobre todas as coisas em nosso dia a dia. Conhecendo os principais atributos do Criador, como misericórdia, bondade, justiça e abençoador, por exemplo, passamos a amá-lo com mais sinceridade e convicção. 



O que pesa mais?  

Antes de falarmos mais sobre o amor, em si, vamos falar um pouco sobre nossa rotina. Existe uma brincadeira antiga que consiste em perguntarmos a outra pessoa “o que pesa mais, um quilo de chumbo ou um quilo de algodão?”. Muitas pessoas acabam respondendo um quilo de chumbo, sem se darem conta que a resposta já está na pergunta, pois ambos pesam um quilo. Vamos trazer isso para o conceito de pecado. Qual pecado é pior? Matar, mentir ou falar um palavrão? Na verdade, na bíblia não encontramos distinção clara de pecado, embora muitos teólogos atuais defendam diferentes graus de pecados, certo é que todos levam à morte, e todos pecamos e estamos de separados da glória de Deus (Romanos 3:23). 

Pouco importa se existem diferentes níveis de pecado, o certo é que o pecado nos afasta de Deus. Há quem defenda diferentes consequências e penalidades, mas a partir do momento que um “pecadinho” nos afasta de nosso Criador, podemos entender que todos os pecados podem tratados com o mesmo peso. Estamos falando disso, para refletirmos que TODOS temos pecados, e, portanto, já estaríamos condenados (se não fosse a misericórdia de Deus). Ou seja, não importa se nosso pecado é “grave ou menor”, necessitamos da glória de Deus. 

É importante ressaltar nossa condição de pecador para ressaltar a misericórdia do Altíssimo, colocada em prática através do sacrifício de Jesus Cristo. Quando entendemos que todos nós deveríamos ser condenados à morte, mas fomos salvos, unicamente pela graça de Deus, podemos ser verdadeiramente gratos a Deus pelo seu amor. Antes de pensar em como você pode amar a Deus sobre todas as coisas, pense em como Ele te amou. Encha seu coração de gratidão e alegria, refletindo na salvação pelo sangue de Jesus. Depois, pense em sua vida, em todas as bênçãos que possui. Não somos dignos, merecedores de nada de bom que temos, mas ainda assim, temos muitas bênçãos pela misericórdia. 

Verdadeiro amor 

Quando experimentamos o amor de Deus, queremos compartilhar com os outros não é verdade? Por isso, quando vamos evangelizar, falar de Deus a alguém, não adianta ficar apontando os pecados e “condenando” pelos erros, pois não é o medo que faz as pessoas aceitarem a salvação de Cristo, é o amor. Pense em como você gostaria de ser recebido pelo Pai; com ele apontando seus defeitos, ou perdoando seus pecados? A correção, a disciplina e a advertência devem ser direcionadas àqueles que já estão no caminho e não aos que nem conhecem a Palavra ainda. Aos que buscam Deus, devemos focar o amor de nosso Senhor, pois até em sua disciplina há amor, mas quem não conhece a Palavra não sabe disso. 

No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor. 1 João 4:18 

Neste versículo, João nos ensina que o amor lança fora o medo. Como assim? Quando recebemos o amor, não ficamos pensando em castigos e o que pode acontecer se eu não for obediente, queremos apenas abraçar esta atmosfera, com gratidão, imaginando o que mais pode vir deste amor, qual será o próximo passo.  

A última parte pode parecer confuso “quem tem medo não está aperfeiçoado no amor”, mas é algo que vivenciamos todos os dias. Quando temos medo, somos obedientes pelo medo do castigo e não puramente pela gratidão. Por isso, pouco antes, ele diz que o amor lança fora o medo, pois quando temos certeza que alguém nos ama, não temos medo de ser castigados por esta pessoa. Da mesma forma, quando queremos ser amados por Deus, não focamos que podemos ser castigados, apenas queremos mais amor e demonstrar nossa gratidão com uma obediência pura e sincera, sem interesses. 

Amar a Deus sobre todas as coisas é nos esforçarmos para colocar sua vontade sempre acima de outras coisas. Podemos nos dar bem em um negócio “de baixo dos panos”, mas se este acordo não honra nossa fé em Deus, não devemos concretizá-lo, não por medo de ser castigado, mas para honra a Deus. Se sabemos que apenas “olhar a mulher do próximo” é pecado, vamos nos esforçar para não fazer isso para que Deus ache em nós um coração obediente puramente por amor.  

Rei pode ser obedecido por ser temido ou amado 

Quem tem filhos sabe muito bem a diferença de ser obedecido por amor ou por medo. Se um filho precisa ser ameaçado para arrumar o quarto, isso gera um desgaste e o pai não fica orgulhoso de seu filho; mas quando um filho decide por conta própria arrumar a bagunça, o pai fica feliz porque viu o filho sendo obediente por livre vontade. Quando um rei é temido, seus súditos serão obedientes apenas em sua presença, e a qualquer momento podem se revoltar. Mas quando um povo ama seu rei, lhe é obediente simplesmente por amor, por respeito e o rei se compadece do povo, é um respeito mútuo. Certamente, nosso Rei não quer ser obedecido por ser temido, mas sim por ser amado. 

Para saber como amar a Deus sobre todas as coisas, pense como um pai, ou um rei. Você quer ser obedecido por gratidão ou porque existe um medo do castigo? Certamente você prefere ser amado, então pense nisso em seu dia a dia, em seus afazeres, demonstre amor a Deus sendo obediente, evitando o que é errado e transbordando amor. 

Outros texto de nosso site em destaque:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *