Busque santificação por amor e não por medo 

Share Button

Quando decidimos ser cristãos, decidimos mudar nossa vida. Vivemos em busca da santidade, separação do pecado, mas esta busca não deve ser motivada pelo medo e sim pela gratidão, como reconhecimento do sacrifício de Jesus Cristo e por nos ter feito, um dia, enxergarmos a luz para nela caminharmos. Quando enfatizamos o medo de ir para o inferno, de perder a salvação, nossa santificação funciona como uma moeda de troca, como uma obrigação para termos o “passaporte” carimbado para a entrada no Reino dos Céus. Quando buscamos santificação como forma de gratidão, uma demonstração de amor e obediência, estamos compreendendo o verdadeiro significado do sacrifício de Jesus Cristo na cruz. 




Quando o pecado é “normal”  

O que é pior do ponto de vista do pecado: usar drogas, falar palavrão, mentir, maldizer, ver pornografia, cometer adultério, roubar ou ser vaidoso? Sabemos que não há diferenças, é o famoso “não existe pecadinho nem pecadão”, estes exemplos são modelos de conduta errada, mas mesmo uma pessoa com anos de conversão comete um pecado. Existem linhas teológicas que defendem diferentes gravidades de pecados e outras linhas não. Independente da linha de pensamento de sua igreja, queremos ressaltar que a busca pela santificação deve ser constante. 

Nãos saímos por aí buscando o pecado, como se estivéssemos usando uma camisa “pecado vem ni mim que tô facim”, mas acontece. Como o pastor Márcio Valadão, da Batista da Lagoinha (MG), disse uma vez, é como quando pisamos em caca de cachorro. Ninguém sai por aí buscando porcaria para pisar, mas, de vez em quando, acontece. O cristão, por mais blindado que esteja, acaba pecando, isso nos faz ver o quanto precisamos do amor de Deus e alimenta nossa busca pela santificação. 

O problema é quando nos acostumamos com o pecado, e até adotamos os “pecados de estimação”, com o discurso de que “esta é a nossa luta”. Uma pessoa que consome drogas ou álcool precisa lutar contra estes vícios como uma demonstração de sua vontade de buscar santidade. 

Deus é amor  

Quando Jesus Cristo decidiu se entregar na cruz, ele não fez isto por “medo”, qualquer que fosse. Medo de ser acusado pelo inimigo de nossas almas, medo de ser acusado pelo Pai, medo de que outro profeta fizesse isso. Ele fez isso porque nos ama. Provavelmente a passagem mais famosa da bíblia, João 3:16, nos ensina justamente isso, Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu único filho para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Deus demonstrou seu amor com uma atitude. 

O cristão demonstra seu amor a Deus, principalmente pela obediência, pela gratidão, pela santificação. O maior sinal que alguém pode fazer para demonstrar que realmente é cristão, é amar.  

“Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão”, 1 João 4:20-21. 

Amor lança fora o medo  

O melhor trecho bíblico que podemos ler para compreender esta verdade é o primeiro livro de João.  

“Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor”. 1 João 5:8 

Por fim, a passagem que melhor mostra que a santificação deve ser desejada, não por medo, mas por amor a Deus, é 1 João 4:18.  

“No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor”. 1 João 4:18 

O final deste trecho nos mostra que o que teme não é perfeito em amor. Quando um filho nosso faz algo por medo de ser castigado, não está fazendo por pura vontade. Quando decidimos buscar santificação apenas por medo de ser castigado (ou ser condenado ao inferno) ainda não compreendemos o verdadeiro amor de Deus. 

Um marido que decide cozinhar apenas para agradar a esposa, e não por medo de ser visto como preguiçoso, está demonstrando amor. Um filho que decide ajudar a mãe a arrumar a casa por vontade própria, e não por medo de ser castigada, está demonstrando amor. 

Um cristão que luta contra sua vontade de pecar por amor à Deus, para demonstrar que realmente é grato pelo sacrifício na cruz, está demonstrando amor perfeito, mas o que luta contra o pecado por medo de ser castigado está lutando contra si mesmo, contra o próprio egoísmo, pois não quer ser castigado e esta é a sua única preocupação. 

Lembre-se de buscar santificação demonstrando amor e não apenas medo de ser castigado. Leia também:

Consagração é como agradecemos a Deus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *