Como ter fé em Deus sem desconsiderar a ciência?

Share Button

Neste texto vamos ver como ter fé em Deus não tem nada a ver com desconsiderar a ciência. Eis um assunto que, particularmente, nunca compreendi. Quando alguma coisa é totalmente explicável significa que Deus não está agindo? Parece que só é possível crer em Deus enquanto houverem coisas inexplicadas acontecendo. Parece que fé e razão são duas coisas que não podem andar juntas. A origem da vida, a expansão do Universo, a origem dos seres humanos. Se descobrirmos como tudo funciona significa que não há Deus? Parece que toda a nossa fé é baseada apenas em mistérios. Quando se descobrem os porquês há quem defina isso como ‘ponto negativo’ para Deus. Minha fé me leva a crer que tudo o que existe e acontece no mundo natural pode ser explicado, não invalidando a existência de Deus. Há quem coloque Deus e ciência em lados opostos, como rivais.

Este pode ser um bom assunto para falar com jovens e adolescentes que estão na faculdade, ou que estarão breve no universo acadêmico. Local que muitos questionam como ter fé em Deus com argumentos contrários.

Deus invalida a lógica?  

Existe uma história, creditada a um pensador espanhol – M. Arango, que nos faz refletir sobre esta “lógica” de que se existem explicações não há Deus. Segue a história resumida do meu jeito.

Um cientista, Laplace, desenvolveu sua teoria da mecânica celeste e apresentou ao imperador Napoleão, que ficou furioso ao ler. “Como você cria uma teoria sobre as leis celeste e a criação e não cita uma única vez a existência de Deus?”, questionou o imperador. O cientista respondeu. “Não foi necessário”.

Há quem defenda que quanto mais a ciência explica as coisas, diminui a necessidade de explicar as religiosas. Por outro lado, há quem acredite que os dinossauros são “obra do diabo para confundir os homens”. Fé e razão são tratadas como inimigas. Pensamos que na tem como ter fé em Deus perante descobertas científicas modernas.

Para mim, se Deus é perfeito, tudo o que Ele faz é perfeito. Portanto criar coisas sem lógica não seria um ato de Deus. A origem do Universo, da vida ou como se formou a Terra precisam ser logicamente explicáveis. Ainda que a humanidade nunca consiga responder essas e outras perguntas científicas, não significam que não tenham ocorrido de forma lógica.




A bíblia está errada? 

Em Mateus 5:45 lemos “Porque (Deus) faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos”. Sabemos que na verdade é a Terra que gira em torno do sol. Será que Jesus não sabia disso?

No mesmo versículo lemos que Deus faz a chuva cair, isso não significa que a chuva cai do nada. Sabemos muito bem que a água tem um ciclo. A descoberta do ciclo da água não invalida a ação de Deus. Muitos crentes têm medo de descobertas científicas e tratam alguns fatos científicos como mentiras “de satanás”.

A ideia de que Deus só existe porque coisas inexplicáveis acontecem é colocar o Senhor em uma caixinha que nós mesmos criamos. Imaginamos Deus de uma forma e cremos que todos que pensam o contrário está errado. Transformamos o poderoso e sábio Deus em algo pequeno e até medíocre.

Albert Einstein escreveu em seu livro “Como vejo o mundo” – “O sentimento religioso dos cientistas assume a forma de um espanto arrebatador na harmonia da lei natural, o que revela uma inteligência de tal superioridade que, em comparação com ele, todo o pensamento sistemático e agir do ser humano é um reflexo absolutamente insignificante”.

Êxodo 1 e Salmos 105 

Vamos a um exemplo de duas passagens bíblicas que narram a mesma história, mas com linguagem diferentes. A mesma história é narrada com fé e razão em livros diferentes.  Vamos ler Êxodo 1:7 – “E os filhos de Israel frutificaram, aumentaram muito, e multiplicaram-se, e foram fortalecidos grandemente; de maneira que a terra se encheu deles”; e Êxodo 1:13 e 14. “E os egípcios faziam servir os filhos de Israel com dureza; Assim que lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o seu serviço, em que os obrigavam com dureza”. Uma explicação bem lógica, humana, natural, socióloga, como preferir. Mas em Salmos 105:24 e 25 podemos ler essa mesma história de uma forma mais ‘religiosa’. “E aumentou o seu povo em grande maneira, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos. Virou o coração deles para que odiassem o seu povo, para que tratassem astutamente aos seus servos”.

No livro de Êxodo 1:7 a explicação é lógica – “os filhos de Israel frutificaram, aumentaram muito”. No livro de Salmos foi Deus quem “aumentou seu povo sobremaneira”. Duas explicações para o mesmo fato.

Êxodo 1: 8 a 11 também lemos um acontecimento de forma bem natural – “E levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não conhecera a José; o qual disse ao seu povo: Eis que o povo dos filhos de Israel é muito, e mais poderoso do que nós. Eia, usemos de sabedoria para com eles, para que não se multipliquem, e aconteça que, vindo guerra, eles também se ajuntem com os nossos inimigos, e pelejem contra nós, e subam da terra. E puseram sobre eles maiorais de tributos, para os afligirem com suas cargas. Porque edificaram a Faraó cidades-armazéns, Pitom e Ramessés”. Já em Salmos 105:25, já mencionado algumas linhas acima, foi Deus quem “virou o coração” dos egípcios. Uma explicação de o que Deus fez. Em Êxodo parece que Deus não fez nada demais, já em Salmos, Deus fez tudo.

Pensamos que é difícil saber como ter fé em Deus quando a ciência consegue explicar quase tudo.

Exercício de raciocínio 

Vamos realizar um teste rápido. Vamos abordar a história de José, filho de Jacó, o qual a maioria dos cristãos e judeus conhecem. Foi vendido para o Egito como escravo. Em Gênesis 45:5 lemos José explicando aos seus irmãos que foi Deus quem o enviou ao Egito. Agora, vamos imaginar que a bíblia não falasse nada sobre José, somente esta parte. Agora vamos imaginar que recentemente arqueólogos descobrissem a história de um hebreu vendido ao Egito. Poderíamos questionar a descoberta. “Estão tentando explicar a história de José de uma forma humana”. De outra forma os céticos poderiam questionar. “Estão vendo, não foi Deus que mandou José para o Egito, ele foi vendido como escravo”. Ora, como conhecemos a história toda de José, ao lermos em Gênesis 45:5 José falando “Deus me enviou diante de vós”, sabemos que é uma forma de expressão que demonstra os planos de Deus na história de José.

O cristão deveria tratar fé e razão como aliadas, devemos entender que mesmo quando as coisas são perfeitamente explicáveis, isso não invalida a existência de Deus, só mostra o quão perfeito Ele é.

A bíblia nos ensina como ter fé em Deus

Quando falamos da inerrância da Bíblia, ou que a Bíblia foi escrita por inspiração divina (2 Timóteo 3:16) não estamos falando que tudo ali escrito ocorreu como se os escritores estivessem possuídos. As parábolas de Jesus é o maior exemplo disso. Histórias inventadas pelo mestre, mas com conceitos sobre a doutrina de Deus e a doutrina da salvação. Apocalipse também está cheia de metáforas. Por que as primeiras histórias de Gênesis não poderiam ser parábolas ou metáforas?

Quem não crê em Deus não sabe como ter fé em Deus se existem estudos que “comprovam que tudo ocorre de forma natural”. A maior parte das pessoas que não acreditam nas escrituras bíblicas baseiam-se nos textos de Gênesis para mostrar todas as contradições que existem entre a bíblia e a ciência, o mundo como observamos.

Será que devemos levar ao pé da letra trechos como:

  • A Terra colocada sobre alicerces (1 Samuel 2:8)
  • A ordenança de o homem não usar roupas com dois tipos de tecido (Levíticos 19:19)
  • Jesus dizer que a mostarda é o menor grão da Terra, o que não é;

Estes trechos bíblicos podem parecer contraditórios e servem de base para ataques contra a fé cristã. Na faculdade, por exemplo, muitos questionam sobre Gênesis. Será que estamos preparados para responder, e demonstrar como ter fé apesar das críticas e zombarias?

Este texto é direcionado a nós evangélicos, por isso, não quero abordar as críticas, mas sim nossa fé, como defender nossa fé com tantos questionamentos. Precisamos entender que a ciência não nos ensina como ter fé em Deus, mas a fé nos faz ter sede pelo conhecimento científico, pois assim podemos conhecer um pouco melhor a arte de toda a criação do Eterno.

Não deixe de ler:




3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *