Como fortalecer a família em três passos 

Share Button

A família é um plano de Deus para que nós pudéssemos entender um pouco melhor sobre seu amor e sua misericórdia. Quando amamos um filho, educamos e instruímos podemos ter ideia de como o Altíssimo trabalha por nós. Quando nos dedicamos ao cônjuge e ficamos satisfeitos em receber amor e atitudes amorosas, podemos compreender como Deus cuida de nós e como Ele gosta de ser adorado e louvado, podemos aprender sobre fidelidade e muitas outras verdades. Para que a humanidade pudesse crescer com sabedoria, emocionalmente e espiritualmente a família foi planejada, mas ao longo da história não foram poucas vezes que o mundo tentou enfraquecer as relações familiares.

Os tempos modernos trazem inúmeras ferramentas para destruir a família. Os laços familiares enfraquecidos abrem portas para o fracasso pessoal. Um filho sem a devida atenção, ou mimado demais, uma esposa ignorada, um marido autoritário, uma mulher mandona, um marido banana, um filho sem limites ou até mesmo o excesso de amigos no lar podem ser brechas para a destruição da família. Quando estamos em um ambiente com outra(s) pessoa(s) precisamos aprender a fortalecer esta união e lutar contra forças de fora que possam acabar com esta união. Precisamos tomar medidas que nos ajudam a evitar que a família seja desfeita. Por isso, selecionamos três passos para fortalecer a família. São apenas exemplos de atitudes que nos ajudam a enfrentar as adversidades do dia-a-dia.

Leia também:

Admire e respeite 

Podemos dizer que a escolha de nosso futuro marido, ou futura esposa, deve começar por alguém a quem admiramos. Pessoas que não se admiram, não se respeitam e o tempo vai deixando o relacionamento abalado. Se um dos membros do casal acha o outro “burro, impaciente, comilão, preguiçoso ou relaxado” a ponto de não poder admirá-lo como pessoa, é o sinal de que o relacionamento, mais cedo ou mais tarde, terá problemas. Quando as pessoas não se admiram, a tendência é de que não se respeitarão, cedo ou tarde.

Mantenha em sua família o clima de admiração uns pelos outros. Quando estiverem juntos, em culto familiar, jantar ou aniversário, pratiquem o elogio, pois o elogio tem grande efeito. Além disso, quando elogiamos alguém estamos ressaltando suas características positivas.

A família deve se esforçar em enxergar as qualidades dos outros e não focar nos defeitos e desacordos. Todos nós temos falhas e defeitos, se quisermos falar de defeitos será muito fácil. Apontar os defeitos dos outros, principalmente de familiares é muito fácil. Elogios exercem nossa humildade e respeito pelos demais.

A história de Jesus e a mulher adúltera, João 8:3 a 11, nos mostra que Jesus não tinha por objetivo apontar os erros dos outros. Não que não devemos corrigir, pois na sequência Jesus disse “vá e não peques mais”, mas não devemos deixar que as falhas dos demais membros da família nos impeçam de admirá-los.

Gestão de conflitos

Passem tempo juntos 

Provavelmente este seja o conselho mais óbvio, pois não é possível criar uma família forte sem tempo junto. A modernidade tem nos trazido tecnologias que podem nos afastar mais de nossa família dos que nos aproximar. Não vamos condenar o uso de aparelhos eletrônicos, mas não podemos reunir a família para ver televisão, por exemplo, isso é uma falsa sensação de unidade. Jogos de tabuleiro, lição de casa, culto doméstico são exemplos práticos de bons momentos em família. Também podemos citar os passeios em família e passatempos que podemos ter em família.

O que vale neste caso é o contato humano. A família jogando um jogo de tabuleiro é mais efetivo para o fortalecimento familiar do que todos jogando kinect, por exemplo. Claro que podemos fazer a segunda opção, mas não podemos desprezar os momentos juntos de contato humano, conversas sinceras e boas risadas.

Comunicação e sinceridade 

Talvez, esta seja a regra número um para casamentos felizes. A comunicação inclui o conceito de sinceridade e auto reflexão. Quando nos comunicamos com os outros membros da família, exercemos a capacidade de nos expressar, expor nossos pensamentos e de compreensão. Os benefícios de uma boa comunicação para o ser humano são bem amplos. Dentro de uma família estes benefícios são potencializados.

Quando não temos coragem de falar algo errado que fizemos, quando temos vergonha de expor nossa opinião ou dizemos “pequenas mentiras” estamos guardando sentimentos que não combinam com o fortalecimento familiar. Os pais devem ser o grande exemplo de comunicação de seus filhos. Devem ter paciência e sabedoria para conversarem sobre diversos assuntos e devem demonstrar capacidade de encontrar soluções. Desta forma, os filhos confiarão neles para expor seus problemas, dificuldades e dúvidas.

Muitos filhos não têm coragem de fazer perguntas simples sobre sexo ou drogas, por exemplo, porque acham que seus pais não saberão responder com equilíbrio, o resultado é que buscam respostas com amigos e internet, encontrando, muitas vezes, respostas erradas ou sem o fundamento cristão.


6 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *