Estudo Bíblico sobre Atos 4 

Share Button

Em Atos 4 encontramos histórias interessantes da Bíblia, que muito revelam o caráter inicial da igreja cristã. Uma história conhecida de Atos, mas que leremos no próximo capítulo, é a de Safira e Ananias, na qual ambos tentam enganar os apóstolos ao vender um terreno e mentir sobre o valor, aliás, o mais curioso, que muitos ressaltam em suas pregações é que não havia necessidade alguma de mentir. Embora esta narrativa se desenrole em Atos 5, a história de Ananias e Safira começa a ser narrada no capítulo 4 de Atos. 

O livro de atos dos apóstolos nos traz muitos conceitos adotados pela igreja cristã primitiva e o capítulo 4 tem importantes informações sobre isso, como vamos ver neste estudo bíblico. 

O primeiro versículo de Atos 4 traz o termo ‘capitão do templo’, que designava um oficial com responsabilidades inferiores somente ao do sumo sacerdote. O capitão do templo era responsável por manter a ordem no templo. 



O capítulo 4 do livro de Atos já começa com uma polêmica, um bom assunto para estudos bíblicos. Pedro e João pregavam sobre a ressurreição de Jesus, quando alguns saduceus se indignaram e prenderam os dois discípulos. Os saduceus eram de uma linhagem do judaísmo que não acreditava em ressurreição, de forma alguma, ao contrário dos fariseus, que acreditavam ser possível uma ressurreição. Os saduceus eram responsáveis pelos rituais nos templos e, segundo alguns estudos bíblicos, eram mais liberais que outras ramificações do judaísmo. Também podemos ler em Mateus 22:23 sobre a abominação que os saduceus faziam sobre a ressurreição. 

Nos versículos 5 e 6 se fala do Sinédrio (não confundir com Cenáculo do capítulo2), que era um grupo de pessoas  autorizadas pelo governo romano em reger a parte religiosa de Israel. Eram os principais anciãos e sacerdotes. Caifás era o atual sumo sacerdote e Anás o ex. No entanto, até hoje não se sabe quem era João e Alexandre, mencionados neste versículo. 

A resposta de Pedro – Atos 4:8 a 12 – coloca os ouvintes em julgamento e ressalta que o milagre era um bom sinal, realizado pelo poder de Jesus Cristo, a quem tinham crucificado. A rejeição de Jesus pelos judeus foi profetizada em Salmos 118:22. Uma curiosidade bíblica é que este discurso no grego original tem apenas 92 palavras. 

A autoridade dos discípulos 

Seguindo o estudo bíblico de Atos 4, lemos que Pedro e João se apresentaram ante o sumo sacerdote e toda a ‘patota’ com autoridade. Nos versículos 12 e 13 vemos que até mesmo aqueles anciãos e sacerdotes judeus ficaram espantados como eles falavam bem e com autoridade, mesmo sendo pessoas sem estudo suficiente para falarem daquela maneira. Para alguns estudiosos da Palavra de Deus, isso foi possível graças ao Espírito Santo que lhes deu autoridade para tanto. Jesus havia falado que os discípulos seriam grandes testemunhas graças ao Consolador, conforme pode ser verificado no livro de João 15:25 e 26. Tal autoridade lhes fez perceber que não contavam histórias que tinham ouvido de outras pessoas, mas perceberam que João e Pedro, de fato, estiveram com Jesus. Os termos “iletrados e incultos” significa que Pedro e João não haviam estudado em uma escola judaica rabínica, nem eram ordenados por estudiosos profissionais. 

Do versículo 23 a 31 vemos que Pedro e João falavam sempre com autoridade e sem medo, bem diferente de quando foram perseguidos pelos judeus pela primeira vez – João 20:19. 

Reparem que mesmo proibindo os discípulos de pregarem – Atos 4:15 a 17 – eles não discutiram a ressurreição de Cristo, que até seria um caminho mais fácil de contestar os apóstolos. 

A oração que segue do versículo 24 a 30 é uma oração de agradecimento ao poder sobrenatural de Deus e não um pedido por livramento futuro. O que eles pedem aqui é ousadia. 

Uma curiosidade bíblica que encontramos no versículo 24 é que o autor ressalta o termo ‘soberano Senhor’, um termo utilizado na época para mostrar uma relação absoluta entre o senhor e seus escravos. Logo em seguida, em Atos 4:25 e 26, os apóstolos mencionam Salmos 2:1 e 2 para mostrar que a responsabilidade pela morte de Jesus é de gentios e judeus. 

O Espírito Santo 

Assim como no versículo 31, de Atos 4, os atos do Espírito Santo é mencionado diversas vezes no livro de Atos. O Espírito Santo batizou os cristãos, tornando-os corpo de Cristo – Atos 1:5 e Atos 11:15 e 16; também podemos ler que a presença do Espírito Santo no cristão é prova de um novo nascimento – Atos 2:38, Atos 5:32, Atos 10:44 e Atos 15:8; de acordo com Atos, o Espírito Santo é quem nos capacita para liderar e testemunhar – Atos 6:3 e Atos 4:8; assim como concede força espiritual (Atos 7:55), discernimento (Atos 13:9) e conduz o cristão (Atos 13:4 e Atos 16:7). 

Atos 4 nos revela como viviam os primeiros cristãos. A comunidade dividia tudo uns com os outros e entre eles não haviam necessitados, pois todos em comum trabalhavam pelo bem de todos. Podemos ler sobre isso no versículo 32. Isso não significa que o cristão não pudesse ter algo particular, mas servia para suprir as necessidades em seu meio. 

Barnabé 

O último relato de Atos 4 é da história de Barnabé, que vendeu um campo que tinha e levou o dinheiro aos apóstolos. Como Barnabé era Levita, é possível que ele não tivesse propriedades em Israel, mas sim em Chipre. Talvez, esta atitude tenha deixado muitos outros ali presentes com ciúmes ou inveja, como Safira e Ananias. O capítulo seguinte de Atos começa com a história deste casal que fez a mesma coisa que Barnabé, mas mentiu sobre o valor para ficarem com um tanto, estudaremos melhor adiante, mas é importante ressaltar que tudo começou com uma atitude sincera e gentil de Barnabé, que queria apenas ajudar a comunidade que crescia, mas que, provavelmente pelas perseguições e limitações, passavam algumas dificuldades em se manter. 

Ao realizar o estudo bíblico de Atos 4 lemos como os cristãos agora falavam com autoridade e já ‘peitavam’ os grandes sacerdotes judeus, como o próprio Jesus havia feito. Antes disso, os apóstolos eram medroso, por isso Pedro negou Jesus, e todos se escondiam dos judeus (João 10:19). 

No próximo estudo, sobre Atos 5, vamos ver como aumentou a perseguição aos cristãos, como também a ousadia dos primeiros evangelistas. Além disso, algumas curiosidades e detalhes históricos estão mencionados neste capítulo. 

Leia também:

2 comentários

  • Claudia Romero

    Bom o estudo, Atos tem em seu tema assuntos de grande importância religiosa e histórica. Muitos atribuem a Lucas a autoria deste livro, e na verdade ele tem como figura principal , nem tanto se falar dos atos dos apóstolos, mas de mostrar as maravilhas do o poder do Espírito Santo, cumprindo-se a promessa anunciada por Jesus logo no primeiro capítulo, versos 1 ao 8. Este é o livro da Bíblia que mais leio, fico fascinada com a ousadia e fé dos primeiros cristãos a propagarem o evangelho naqueles tempos…me inspira e me dá força quando enfrento dificuldades quando evangelizo.

  • Claudia Silva Simão

    Por favor me ajudem, preciso de um estudo sobre o livro de Atos 4:1-12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *