Estudo para esposas cristãs sobre submissão ao marido 

Share Button

Este texto é direcionado às esposas cristãs. Se você é líder do departamento de casais, por exemplo, este é um bom esboço para levar às mulheres casadas de sua igreja. Recomendamos que assuntos como este, submissão ao marido, sejam abordados em situações que os casais não estejam juntos, assim as mulheres poderão se sentir mais confortáveis para debaterem o assunto. Assim como alguns temas específicos podem ser discutido apenas nas reuniões de marido, acreditamos que quando direcionamos um estudo especificamente às esposas (e mulheres em geral), estamos ajudando essas mulheres a entenderem melhor seu papel no casamento e a ficarem mais confortáveis para fazer questionamentos, críticas e sugestões. 

Se você faz parte da liderança de casais de sua igreja, pense que, às vezes, você pode realizar reuniões separando esposas e maridos para o estudo. Assim, cada grupo pode ir a uma sala separada, onde o estudo será apresentado. Normalmente, para os homens, estas reuniões podem falar de sexo, pornografia, vícios (cigarro, bebida) e o próprio papel do homem no casamento, amar a esposa como Cristo amou a igreja. Em nosso site temos diversos textos direcionados especificamente aos maridos, e outros às esposas. No final deste texto vamos dar algumas sugestões para você. Você também pode fazer essas reuniões em dias diferentes. Se sua igreja não tem espaço para oferecer reuniões separadas ao mesmo tempo, nossa dica é que você marque um dia para o encontro das esposas e outro para o estudo dos maridos. 




Medo de ser submissa 

Ainda existe muita resistência quando se fala que a mulher deve ter submissão ao marido porque associamos submissão com escravidão e humilhação. A mulher deve ser submissa ao marido quando ele age como Cristo, ou seja demonstra todo seu amor pela esposa como Jesus amou a igreja. A mulher não precisa ser submissa ao marido, em algumas ocasiões, quando o marido não é submisso a Cristo. Ou seja, a exploração que alguns homens impõem às suas mulheres não refletem o amor de Cristo, por isso, podemos dizer que se o marido “ordena” sua esposa a agir de forma que contraria os ensinamentos bíblicos, a mulher não tem essa obrigação de submissão. Por exemplo, um marido que ordena uma idolatria, um esquema de golpe ou que deseja ter relações sexuais hereges, não está agindo conforme Cristo, por isso, em casos assim, a esposa cristã não deve ser submissa ao marido. Se o marido não é submisso à Cristo, e até mesmo às autoridades, a esposa cristã deve perceber quando deve ou não ser submissa ao marido. 

Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra (…) Efésios 5:25,26 

Reparem que, neste trecho, a submissão ao marido está ligado ao amor do marido pela esposa a fim de santificá-la, ou seja, guiá-la no caminho de Cristo. 

Muitas mulheres têm medo deste assunto de submissão ao marido porque associam essa submissão à humilhação e exploração. É da natureza humana que sintamos algo ruim quando falamos de uma pessoa ser submissa a outra. 

Este termo, quase sempre, nos remete à exploração e escravidão, mas a Bíblia mesma nos aponta diversas maneiras de sermos submissos da forma que Deus pede a submissão ao marido.  

Submissão bíblica 

Davi é nosso primeiro exemplo de submissão a quem não agrada a Deus. Ele teve a chance de matar Saul por mais de uma vez, mas não agiu assim porque enxergava Saul como seu líder. A submissão da esposa é não se vingar, não ir contra a vontade de seu marido, mesmo quando ele não lhe é agradável. Devemos confiar que o Senhor é nosso juiz. Se o marido é infiel à esposa, ela não deve se vingar ou prejudicá-lo, mas demonstrar sua submissão mantendo a fidelidade e agindo corretamente. Saul queria matar Davi e já não agradava o coração do Pai, ainda assim Davi não o matou. Ser submissa com maridos não cristãos é não desejar vingança ou prejuízos ao homem.  

Honrar 

A submissão ao marido tem relação direta com a honra. Como vimos no exemplo de Davi, ele temeu fazer algo contra Saul porque Saul representava autoridade. Jesus também nos ensinou a dar a César o que é de César e a Deus o que é Deus. O que estes dois exemplos têm em comum? Nos mostram que a submissão tem a ver com honrar, não ser rebelde, não deixar de honrar nossos compromissos. Podemos discordar do imposto cobrado, mas temos que pagar. Isso é submissão. Podemos não concordar com a atitude de alguém, mas não devemos prejudicá-lo. A submissão ao marido é demonstrada através de atitudes que honram o marido. 

Postar fotos sensuais, sair na rua com vestidos curtos, colados ou decotados, por exemplo, difamam o marido e isso demonstra que a esposa não sabe ser submissa, pois não sabe honrar seu lar. Falar mal do marido, criticá-lo na frente dos outros, irritá-lo ou até mesmo ignorá-lo são formas comuns de desonra ao marido. 

Auxiliadora 

Vamos dizer que a submissão ao marido se reflete na vontade de agradá-lo sempre que possível. Curiosamente, antes mesmo de criar a mulher, Deus já tinha um propósito para ela. 

E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. Gênesis 2:18. 

Essa é a melhor maneira de demonstrar submissão ao marido, ajudando-o. Quando a mulher ajuda seu marido a ser um cristão melhor, ela está desempenhando seu papel. Orar pelo marido, por exemplo, é uma maneira de demonstrar sua submissão de uma forma bem amorosa. Ajudar nos afazeres domésticos e se dedicar para criar os filhos conforme a Palavra de Deus são outros exemplos práticos de demonstrar nosso amor e submissão ao marido. 

Seja submissa 

Como vimos neste pequeno texto, a submissão ao marido não tem nada a ver com exploração e humilhação, mas com honra, ajuda e gratidão. A esposa deve demonstrar todos os dias que é submissa ao marido através de suas atitudes, não desejando seu mal, ainda que ele “não mereça” o amor da esposa; mesmo porque somos chamados a demonstrar o amor de Cristo através da misericórdia. Servir o marido é desejar seu bem e isso parte da esposa cristã, não é uma atitude de troca, que depende do marido. Independente de como o homem age, a mulher deve exercer sua fé nas atitudes de honra e submissão como descritos acima.  

Desafio 

Se você vai levar este assunto para ser discutido com outras mulheres, você pode criar um desafio para a semana que segue. Corte diversos papéis, que serão sorteados. Você deve ter a mesma quantidade de papéis e participantes. Em cada papel escreva um desafio para aquela semana. Ao fim da reunião, cada mulher deve retirar um papel com o desafio. Você pode escolher se as pessoas podem ou não ler para os outros o desafio. Para tornar mais divertido, você pode fazer que cada mulher vá à frente, pegue um papel e leia em voz alta seu desafio da semana. Você pode colocar o mesmo desafio mais de uma vez, não tem problema, não precisa ser desafios diferentes. Você pode listar cinco ou seis desafios e depois repeti-los, como pessoas diferentes vão pegar este papel, não tem problema duas pessoas terem o mesmo objetivo a cumprir nos próximos dias. Exemplos de desafios: 

  • Criar uma noite romântica  
  • Assistirem juntos um programa que ele queira (um jogo, filme, seriado etc) 
  • Fazer, ou comprar, o prato favorito dele 
  • Dançarem juntos uma canção romântica 
  • Faça uma carta de amor (com pelo menos 15 linhas) 
  • Mensagem em vídeo (grave um vídeo com poema, agradecimento, elogio ou qualquer outra coisa do tipo. Grave o vídeo sem o marido saber e depois, mostre a ele) 

Essas são apenas algumas sugestões simples, que podem ser feitas sem despesas financeiras. O objetivo é estimular as esposas a honrarem seus maridos demonstrando, assim, sua submissão a eles. Temos outros textos que podem te ajudar a complementar este estudo:

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *