Frutos do Espírito no adolescente: Mansidão 

Share Button

Seguindo nossa série de estudos para jovens e adolescentes sobre os frutos do espírito, neste texto abordaremos a mansidão. O adolescente cristão precisa viver em busca de uma vida santa, mas em meio a tantas dúvidas e conflitos a tarefa se torna bem difícil. Quando estamos dispostos a manter uma vida com os padrões de Deus, refletimos uma personalidade coerente com o cristianismo, o que se diz em “refletir a imagem de Cristo”. Sabemos que estamos no caminho certo quando os frutos dos espírito se tornam parte de nossa vida.

O adolescente que se prepara para a vida adulta sob o poder do Espírito se tornará um adulto cheio de virtudes e mais convicto de sua fé. Podemos dizer que os frutos do espírito são os frutos que mostram quem somos, que árvore somos. São nove características que devem predominar sobre o cristão. Quando estamos convictos a seguir um cristianismo sério, o resultado é a “manifestação”, a marca, dos nove frutos do espírito em nós.

Para completar seu estudo sobre os frutos do espírito, leia também:

 



Sabemos que o adolescente tem uma rotina de vida um pouco diferente dos adultos, assim como suas dúvidas e conflitos também são característicos do adolescente. Nem sempre pais, líderes e professores sabem lidar com a personalidade que está formando esta pessoa, o adolescente, mas é justo lembrar que, muitas vezes, nem nós mesmos sabíamos quem éramos, o que queríamos da vida, neste período da vida.

A rotina do adolescente envolve estudos, amigos, escola, vida social (virtual e real), família e, claro, diversão. Muitos pais se queixam de seus filhos serem rebeldes em casa, enquanto são mais tranquilos com os amigos. Parece que o adolescente vive em dois mundos diferentes, em casa, com a família e na rua, com amigos e a sociedade em si.

O que é mansidão

Ao lermos sobre os frutos do espírito, podemos considerar mansidão como uma consequência, ou prolongamento, da humildade, que nos leva a compreender cada pessoa como alguém especial, que merece nosso respeito, independente de quem seja. O professor, o pai ou o vizinho devem ser tratados com respeito, compaixão. O adolescente deve aprender a entender as necessidades de cada pessoa. Quando um professor se irrita, o adolescente tem que compreender o que deixou aquele professor irritado para tentar acalma-lo, e não instigar ainda mais o conflito. Uma mãe irritada deve ser vista como uma pessoa que está com problemas naquele momento, ou sobrecarregada, que precisa de ajuda do adolescente, nem que esta ajuda seja ficar quieto.

Se você é líder de adolescentes e deseja abordar os frutos do espírito, recomendamos uma atenção especial à mansidão, pois a sociedade moderna dá muita ênfase ao oposto. Destaque aos jovens como a mansidão está relacionada aos demais frutos do espírito.

Gestão de conflitos

Ser manso demonstra grande personalidade e um caráter cristão genuíno. A mansidão também tem relação direta com domínio próprio, pois a mansidão é uma característica que nos leva a controlar nossos impulsos e nos força a compreender cada situação, para pensarmos na melhor forma de não criar ou acabar com o conflito.

Um exemplo bíblico de pessoa mansa é Barnabé. Em Atos 9:26 e 27 podemos ler como ele agiu em certa ocasião. Paulo estava começando sua vida no cristianismo, por isso, muitos desconfiavam que ele ainda queria matar os cristãos. Certa vez, quando Paulo chegou para pregar em Jerusalém, os cristãos acharam que se tratava de uma estratégia para encontrar e matar os cristãos, mas Barnabé teve paciência e foi quem acalmou o povo, abrindo as portas da cidade para a pregação de Paulo.

Exemplos de mansidão

Na escola, na igreja ou com os amigos do bairro, o adolescente deve ser motivado a não entrar em conflitos e não deixar que confusões se formem.

Um exemplo de atitude de mansidão é quando alguém começa a falar mal de outra pessoa. Podemos ser impulsionados a concordar e começar a falar mal também, mas quando o fruto do Espírito da mansidão age em nós somos levados a não “dar corda” e tentar acalmar a pessoa que está maldizendo alguém.

Imagine um conflito que comece com você tendo razão. Poderíamos imaginar que não somos obrigados a “engolir sapo”, mas o espírito de mansidão muitas vezes nos leva a acabar com nossa postura de “correto” na discussão, apenas para que o conflito termine.

Sem dúvidas Jesus é o maior exemplo que podemos citar quando o assunto é frutos do espírito. Quando lembramos que Jesus Cristo foi levado ao matadouro, manso como um cordeiro, podemos lembrar que ele não tinha feito nada de errado, e ainda foi zombado e questionado por soldados, pelo governador, pelo povo e até por um dos ladrões ao seu lado. Ainda assim ele não “bateu boca” e nem se exaltou, manteve-se quieto, pois mesmo no momento mais difícil de sua vida, manteve-se manso. E olha que ele estava coberto de razão.

Quando lemos Efésio 4:1 e 2 vemos que mansidão também significa suportar uns aos outros. Sabemos que convivemos com pessoas com opiniões diferentes, criações diferentes e diferentes posicionamentos, por isso, manter-se manso é uma constante, pois mesmo em casa, em um ambiente com poucas pessoas, as divergências surgem.

Manso ou “bobo”?

A grande dificuldade em manter nosso espírito manso é a ideia, que a sociedade nos impõe, que uma pessoa mansa é boba, covarde, que se humilha, que aceita o que os outros dizem, que se deixa fazer “de gato e sapato”.

Os frutos do espírito nos ensinam a agir na contramão dos pensamentos da sociedade materialista e imediatista.

Voltando à história de Cristo, sabemos o porquê de ele aceitar o que sofreu. Quando nós vivemos as situações de conflito, achamos que não podemos ficar quieto, aceitar a “humilhação”. Quando tomamos a atitude de ser manso, este mundo o condenará. Ninguém vai te elogiar por abrir mão de um “direito”, mas quando temos experiências com o Criador, sabemos que os “nosso direitos” nem sempre nos traz satisfação, mas a manifestação de seu poder sim, e é isso que nos leva a um espírito manso, mesmo quando nos dizem que “estamos no nosso direito”.

Mansidão acalma a alma

Também podemos ressaltar que o grande beneficiado de nossa mansidão somos nós mesmos. A pessoa mansa, que evita conflitos, não tem sua vida regida por brigas, intrigas, confusões. A mansidão nos leva a um aproveitamento melhor de nossas vidas, pois apreciamos melhor os momentos bons e evitamos momentos de tensão e aflição.

Indiscutivelmente, a mansidão é um reflexo da presença de Deus em nossas vidas. Como os demais frutos do espírito,  a mansidão nos leva a pensar que nossa esperança não são as recompensas deste mundo, 1 Coríntios 15:19.

O adolescente é questionador e, de certa forma, desafiador. Por isso, não aceita apenas um não como resposta, ou “porque sim”. A falta de informações e de explicações é o que deixa muito adolescente irritado. Os adultos não têm paciência em explicar os motivos e consequências de cada ação.

Evitar conflitos e se dispor a apaziguar os debates mais acalorados são bons exemplos de atitudes de uma pessoa mansa.

Educação Sexual

 

Um comentário

  • Eis aí um dos frutos do espírito que mais exige de nós, adultos, uma atenção especial, o que se dirá nos adolescentes ! Fui mãe de quatro adolescentes e ainda cuidei de muitos outros, não digo que seja uma tarefa fácil, pois cada filho , cada adolescente, tem suas características e personalidades próprias, e por isso Deus fez cada um, um ser ÚNICO!!! Mas, também posso afirmar que não foi um trabalho árduo e pesado, pois sempre me apoiei nos ensinamentos de Cristo, nas doutrinas do Evangelho, sempre me respaldei na bíblia, e sempre busquei ajuda em pessoas cristãs, hábeis e confiáveis. Contudo, afirmo que , o que mais pesa numa criação de filhos numa família, é o exemplo que damos, é a realidade de quem somos dentro de casa, é o nosso comportamento, nosso coração, é o reflexo da pessoa de Cristo em nós mesmos. Hoje, eu e meu marido, podemos dizer que criamos nossos seis filhos, hoje adultos, com tudo aquilo que aprendemos no Senhor Jesus, na força D´Ele e com Ele ! Hoje, deixo estes ensinamentos, não só aos nosso filhos, mas a todos vocês leitores, na confiança e certeza, que toda luta, toda tarefa, toda missão, só terá sucesso se estiver respaldo no Senhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *