Lição bíblica sobre o naufrágio de Paulo 

Share Button

Quando lemos o livro de Atos, um dos acontecimentos mais cheios de emoções é, para muitos, o naufrágio de Paulo, narrado a partir de Atos 27:27. Pela narrativa, emoções e reviravoltas, esta história é excelente para desenvolver uma lição bíblica para a EBD Infantil. As crianças adoram contos de aventura e com emoções, por isso a história de Paulo naufragando a caminho de Roma é um trecho bíblico que pode ser muito bem explorado por professores da escola bíblica infantil. Esta aula permite que o professor desenvolva sua criatividade e realize diversos tipos de atividades. Dependendo da idade das crianças, é possível brincar de navegadores e também encenar a aula com as crianças. 

  • Texto base: Atos 27:27 a Atos 28:15 
  • Objetivo: As crianças devem entender que mesmo quando as situações fogem de nosso controle, devemos confiar em Deus e não perder a esperança 

Introdução 

Quem aqui já viajou de barco ou de navio? Você teria medo de o navio afundar? Já pensou se você estivesse em um barco e, no meio da viagem, começasse a chover muito e dar muitos relâmpagos. Você ficaria com medo? E se fosse pior ainda, o barco afundasse, como você tentaria se salvar. Na lição bíblica de hoje vamos ver como o apóstolo Paulo conseguiu se salvar de um navio que naufragou. 





A história 

No começo do cristianismo, Paulo era um apóstolo que não tinha medo de falar de Jesus para os outros. Ele ia para todo lugar ensinando que Jesus era o filho de Deus e que Jesus tinha morrido pelos nossos pecados. Mas, em muitos lugares que ele ia, as pessoas achavam que ele estava mentindo, querendo enganar as pessoas só para criar uma nova religião. Certa vez, Paulo estava pregando sobre Jesus em uma cidade chamada Jerusalém. Nesta cidade, a população achava um absurdo alguém falar que era filho de Deus, por isso, quando Paulo chegou lá para dizer que Jesus era filho de Deus, eles ficaram insatisfeitos. Eles não queriam que Paulo continuasse ensinando sobre isso, por isso, prenderam Paulo. Quando o julgamento começou, Paulo foi levado para diversas autoridades para se defender. Os judeus queriam que ele morresse, mas naquela época o Império Romano dominava Israel e eles não podiam matar ninguém sem autorização dos romanos, por isso, tiveram que levar Paulo para ser julgado pelos romanos. As autoridades romanas não sabiam o que fazer porque não achavam Paulo culpado, mas não queriam desagradar o povo judeu que clamava pela prisão e morte de Paulo. Como Paulo era romano, ele podia pedir para ser julgado pela maior autoridade romana, o imperador César; e foi isso que ele fez, ele pediu para ser julgado por César. Só que para isso acontecer, ele teria que ser levado como prisioneiro para Roma, onde ficava o imperador César.  

Professor, em caso de dúvidas, você pode ler a história desde Atos 23 para preparar-se bem para essa lição bíblica.  

Então, um soldado romano chamado Júlio ficou responsável por levar Paulo para Roma. Eles teriam que fazer uma viagem de navio para irem de Israel até Roma. A viagem de navio demorava muitos dias, cerca de vinte dias. O navio estava cheio de presos, além de soldados e a tripulação (pessoas responsáveis pelo navio, como capitão e marinheiros). No total eram 276 pessoas. 

No meio do caminho, o vento forte começou a soprar, e o capitão do navio precisava navegar bem devagar. Paulo avisava que teriam que tomar cuidado a viagem e mudar de rota, mas o soldado não confiava em Paulo e junto com o capitão do navio decidiram seguir o plano que já tinha feito. O vento começou a piorar e o capitão até se perdeu. Ele achou que já tinham chegado onde deveriam e ancorou o navio. Só que eles estavam no lugar errado, e logo em seguida veio um tufão, vento muito forte, que levantou muitas ondas e começou a causar muitos estragos no navio. Chegou uma hora que o capitão nem conseguia mais controlar a embarcação. 

Esta lição bíblica pode ser muito bem dramatizada. Recomendamos que o professor se dedique a encenar esta situação complexa. 

O barco estava prestes a afundar, por isso, eles começaram a jogar fora toda a carga do navio ( roupa e peças do próprio navio). As nuvens escureciam o céu e eles mal podiam saber quando era dia ou noite. Eles ficaram três dias de desespero, sem saber direito o que fazer. Paulo dava algumas orientações para ajudar, mas o caos continuava deixando todos preocupados. Naquela noite, Paulo teve um sonho no qual um anjo lhe falava “não tenha medo, Paulo. Você vai ter que ir para Roma e Deus não vai deixar ninguém deste navio morrer”. Paulo disse isso a todos, e todos começaram a ficar mais confiantes. 

Depois de catorze dias de viagem, Paulo pediu que todos se alimentassem bem, pois desde o começo da viagem estavam sem comer, de jejum. Depois de comer, começaram a jogar mais algumas coisas fora e jogaram o trigo no mar. No dia seguinte, não teve jeito, o navio ficou preso em algumas rochas, mas o mar estava muito violento e começou a quebrar o barco todo. Não tinha jeito, todos teriam que se jogar no mar. Naquela época, quando os presos fugiam, os soldados e vigias que estavam tomando conta morriam, por isso, quando os soldados romanos viram que não tinha mais jeito, todos teriam que se jogar no mar, eles pensaram em matar todos os presos, inclusive Paulo, mas o chefe dos soldados, Júlio, não queria que Paulo morresse porque Paulo tinha ajudado muito eles. Então Júlio disse: quem sabe nadar pode se jogar no mar. Quem não sabe nadar pode se segurar nas tábuas do navio que estão boiando. E então todos começaram a se salvar, jogando-se no mar. Alguns começavam a nadar, outros se seguravam nas tábuas. Eles viram já estavam perto de uma ilha, e todos foram na direção da ilha. 

Chegando na ilha, descobriram que era um lugar chamado ilha de Malta. Naquela ilha, tinha uma civilização desconhecida e a população da ilha de Malta recebeu todos muito bem, dando até comida para eles.  

Se você perceber que esta lição bíblica é muito demorada, você pode resumir este ponto final dizendo que eles ficaram ali perdidos mais três meses, até um navio passar por ali e resgatá-los. E assim, Paulo seguiu para Roma, onde seria julgado pelo imperador. Se quiser detalhar um pouco mais a história prossiga. 

Ali na ilha de Malta, quando chegaram, Paulo foi fazer uma fogueira e começou a pegar alguns gravetos, só que ele não viu que no meio dos gravetos tinha uma cobra, que mordeu ele. Era uma víbora, uma cobra muito venenosa e todos acharam que Paulo morreria, porém, ele não morreu e todos ficaram espantados. Eles começaram a tratar muito bem de Paulo e seus companheiros.  

Conclusão 

Depois de três meses na ilha de Malta é que um navio passou por lá para resgatá-los. Paulo seguiu então para Roma, onde seria julgado por César, mas isso ia demorar e as autoridades romanas deixaram ele viver em liberdade em Roma até o dia de seu julgamento. 

Na lição bíblica de hoje, vimos que Paulo passou por muitos perigos em sua viagem de navio de Israel para Roma, mas não deixou de confiar em Deus, mesmo quando parecia que tudo ia dar errado. Quando passamos por dificuldades na vida, às vezes parece que nada vai dar certo, mas devemos confiar que Deus tem o melhor para nós. 

Oração 

Hoje, na lição bíblica, aprendemos a confiar em Deus. Se você deseja orar e pedir para Deus ajudar você quando estiver com medo, vamos orar. ORE!  

Outros modelos de lição bíblica que podem te ajudar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *