Mantendo a disciplina em sala de aula 

Share Button

Buscar a disciplina em sala de aula é o sonho de todo professor, mas quando ele se depara com uma sociedade que não permite deveres, apenas direitos, a função de disciplinar começa a parecer impossível. Neste texto queremos dar algumas sugestões que podem ajudar o professor a manter a disciplina em sala de aula com alguns recursos simples, mas que podem fazer muita diferença em seu dia a dia. Embora, o conteúdo seja direcionado para os departamentos infantis, os professores e responsáveis de escolas comuns também podem aproveitar algumas dicas. Devemos lembrar que o professor precisa ter autonomia para desenvolver sua função, o que também, sabemos que é complicado, tanto em igrejas como em escolas.

Em primeiro lugar, vamos categorizar disciplina como um tipo de treinamento que ajuda as crianças a seguirem regras, desenvolvendo seu autocontrole. Para a igreja, devemos ressaltar que é através da disciplina que nos tornamos discípulos, com limites em nossas ações. Sem a disciplina, seria impossível, por exemplo, a realização de um culto evangélico. Da mesma forma, sem essa subordinação é impossível realizar uma aula. Para o departamento infantil, a disciplina deve ajudar as crianças a respeitarem seus pais, professores e todos os demais, não apenas os mais velhos, mas os colegas e às crianças mais novas. Com a disciplina formamos pessoas capazes de construírem uma sociedade mais justa, menos egoísta.



Dicas práticas 

Uma das principais dicas para manter a disciplina em sala de aula é não permitir que um aluno domine a sala. Até mesmo quando aparenta querer apenas “ajudar”, respondendo tudo, querendo fazer tudo, ficando zangada quando outras crianças ajudam. Ao lidar com um comportamento dominador, o professor deve manter-se calmo e lembrar-se que todo problema de indisciplina deve ser tratado individualmente, nunca exponha seus alunos. Seja firme, mas evite palavras agressivas. Mantenha-se bondoso e amoroso. Pode parecer impossível, mas a prática é essencial. Lembre-se também que precisamos sempre recomeçar nossa maneira de agir e estamos sempre melhorando. É impossível conseguir resultados novos com práticas antigas.

Seja em escolas, seja em igrejas infantis, as classes que demonstram grande disciplina são aquelas que o professor é respeitado e querido.

Sempre pergunte à criança por que ela agiu de tal forma. Em geral, as crianças não respondem a este questionamento e tentam ser evasivos. Esclareça que seu comportamento não é aceitável e tente dar exemplos de como ela deveria agir.

As crianças precisam saber que atos de indisciplina possuem consequências. Se um aluno derrubar algo no chão propositalmente, deve limpar o que fez. O professor não pode viver ameaçando fazer isso ou aquilo. Os alunos acabam percebendo que o professor não tem atitude. Evite retirar uma criança da sala de aula, mas isso não deve ser impossível.

Algo que nem todo professor percebe é que muitos alunos são indisciplinados porque agem assim como forma de se defenderem por não serem bons nos estudos, nos esportes ou qualquer outra área. Por isso, elogiar e dar oportunidades para que todos tenham sucesso é fundamental. Não caracterize um aluno como bom e outro como ruim. Sempre destaque as qualidades de cada um e faça atividades que todos possam ir bem.

Cooperação

Como podemos ver, o professor precisa ter autonomia. Para isso a igreja (ou a escola) precisa apoiar as decisões de disciplina do professor. Recomendamos que o departamento tenha um guia de regras, ou algo assim. Se possível, os pais devem conhecer este guia. Pode ser um cartaz na porta da sala, pode ser um papel impresso e entregue aos pais.

Para manter a disciplina em sala de aula os líderes da igreja precisam apoiar o professor. Devem saber que dentro da sala, a autoridade é o professor e não os pais. Se a liderança perceber que um professor é abusivo em sua autoridade, deve ser afastado imediatamente do ministério infantil, ou ser acompanhado por outra pessoa nas próximas aulas.

A disciplina e o cristão

Para nós, cristãos, a disciplina também faz parte da vida adulta. Cremos que o próprio Senhor nos mantém em disciplina. Ele sabe que nunca atingiremos um padrão de perfeição, ainda assim nos ama e tomou a iniciativa de demonstrar seu amor, entregando seu único filho para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Por Ele nos amar como Pai, nos disciplina e mantém nossas vidas em conformidade com nossa fé. Seus ensinamentos nos trazem transformação de vida e aperfeiçoamento. A Bíblia é justamente uma prova concreta de seu amor, pois é através dela que temos um manual de vida em nossas mãos.

Conversando com os pais

O grande problema da disciplina em sala de aula nas igrejas é que muitos filhos de pastores, bispos, diáconos e outros líderes são péssimos alunos e os professores não conseguem manter sua autoridade. Por isso, como dito acima, um guia de regras deve ser elaborado. Se o filho do pastor (ou qualquer outra criança) insistir na indisciplina, o professor deve se reunir com os pais para uma conversa amigável. Demonstre sempre estar a favor da criança. Mostre que seu interesse é que a criança aprenda e se desenvolva por completo. Evite acusar as crianças, ou apontar apenas os defeitos, pois isso deixará os pais na defensiva.

Uma tática muito usada é a do “sanduíche”. Comece falando bem da criança, depois explique quais foram os problemas encarados e finalize com mais elogios à criança e, se possível, aos pais. Isso fará com que os pais percebam que não se trata de problemas pessoais, e o fará enxergar que você está visando o bem do aluno.

Seja você uma pessoa disciplinada

Se queremos ver a disciplina em sala de aula precisamos ser o primeiro exemplo de disciplina. Material arrumado, aulas bem planejadas, roupas adequadas e autocontrole.

Peça a Deus amor às crianças, mesmo àquelas que você encontra dificuldades para lidar.  Demonstre respeito e mostre às crianças que você as aceita, como são. Tenha sempre um sorriso, seja amável em suas palavras e ações. Não precisa ser permissivo para ser amável, assim como não precisa ser agressivo para ser disciplinador.

Este texto foi elaborado baseado nos ensinamentos da Bília da APEC (Aliança Pró Evangelização de Crianças).

Leia também:

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *