Esboço de ministração para jovens sobre amizades 

Share Button

A vida social tem uma influência importante em nossas vidas. O jovem e o adolescente sentem essa influência com mais intensidade. Neste esboço de ministração para jovens queremos trazer algumas orientações bíblicas sobre este assunto. Não são poucos os jovens e adolescentes que foram criados em um lar cristão, mas que, ao se encherem de amigos, acabam se desviando da fé. Por outro lado, a amizade verdadeira pode nos levar a ter experiências incríveis, inclusive com Deus. Saber diferenciar as boas e as más companhias nem sempre é fácil, mesmo na vida adulta. A bíblia está repleta de exemplos de como uma amizade influencia nossa vida, tanto para o bem como para o mal. Em nosso dia a dia, isso também fica bem claro.

Vamos começar esta ministração para jovens refletindo sobre o termo amizade em si. O que significa ser amigo? Precisamos ser amigos de todos? Existe diferença entre amigos e colegas?


Amigo ou colega? 

Mesmo os mais importantes dicionários da língua portuguesa dão significados diferentes para amigo e colega. Os colegas são pessoas que temos convívio, mas que não são necessariamente nossos amigos. Os maiores exemplos de colegas são as pessoas do trabalho e de estudo (escola ou faculdade, por exemplo). Vamos partir deste princípio, que existe uma diferença entre amigos e colegas e é isso que muitas pessoas não conseguem diferenciar.

Se você deseja preparar uma ministração para jovens sobre este assunto, procure em um dicionário o significado dessas palavras. Se achar definições semelhantes ao que demos acima, leve o dicionário para o estudo e mostre aos jovens e adolescentes, que existe diferença entre amigo e colega.

Vivemos em um país tipicamente latino, assim, o brasileiro tem essa característica de valorizar muito os elos de amizade e familiares. Primos de segundo grau, por exemplo, são considerados familiares importantes. Da mesma forma, o brasileiro, em geral, tem dificuldade de separar os colegas dos amigos. Queremos ter elos fortes com as pessoas do trabalho e da escola. Queremos ir aos churrascos, festas (até do sobrinho, da prima, da irmã do ex-namorado) e manter vínculos com pessoas que deveriam ser apenas nossos colegas de trabalho ou estudo.

O jovem cristão precisa saber diferenciar seus colegas de seus amigos. Caso contrário, poderá criar vínculos de amizade com pessoas que em nada contribuirão para sua fé.

Exemplos bíblicos

Um bom versículo para esta ministração para jovens é Provérbios 18:24, que diz  “O homem que tem muitos amigos sai perdendo, mas há amigo mais chegado do que um irmão”. Podemos ver, portanto, que a própria bíblia nos orienta que o excesso de amigos não é benéfico para nossas vidas.

Outros bons versículos sobre amizade em Provérbios são, Provérbios 13:20 “Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos insensatos se tornará mau” e Provérbios 12:26 “O justo serve de guia para o seu companheiro, mas o caminho dos perversos os faz errar”. Este dois versículos sobre amizade também nos mostram como a influência de nossos amigos podem nos levar a conquistar maravilhosas, ou a fracassos e a uma vida em pecado.

Se tiver oportunidade, em sua ministração para jovens sobre amizade, peça para que alguém leia Provérbios 1:10 a 16 e depois discuta o que cada um entendeu sobre este trecho bíblico.

Em Salmos 1:1 também lemos sobre os perigos de nossos amigos, pois nos alerta sobre com quem andamos e com quem sentamos à mesa. Outro trecho bíblico que pode ser lido durante esta ministração para jovens é 1 Coríntios 15:33, que fala que as más conversações corrompem os bons costumes. Em outras palavras, as amizades ruins nos levam a quebrar nosso próprio código de conduta, e passamos a agir de maneira a querer agradar nossos colegas, mesmo que tenhamos bons costumes.

Amigos cristãos

Muitos jovens e adolescentes ficam divididos entre as amizades da igreja e as amizades do mundo (do trabalho, da rua, do prédio, da escola etc). Por isso, ao realizar sua ministração para jovens sobre amizades, separe um tempo para falar que quando decidimos andar com Cristo, devemos fazer escolhas todos os dias, inclusive sobre nossas amizades.

Alguns jovens que são novos na igreja podem se sentir sem amigos, mas eles devem entender que este momento de transição (da vida sem Cristo para a vida com Cristo) é importante para aprendermos a separar os colegas das amizades. Se sabemos que manter a amizade com alguma pessoa não será compatível com minha fé, devemos, aos poucos, nos afastar desta pessoa. Claro que, nossa prioridade é falar do amor de Deus a todos, mas se a pessoa não toma esta iniciativa, e assim percebemos que ela não será boa influência para nós, devemos tratar esta pessoa, como colega apenas, e não amigo. Não precisamos jogar bola juntos, fazer churrasco, ir a festas ou outros eventos com pessoas que não nos aproximam de Deus.

Devemos ressaltar para os novos convertidos, que é normal sermos tímidos e não termos muitos amigos quando somos novos em um ambiente, no caso a igreja. Ou seja, alguns jovens e adolescentes pensam que não tem amigos na igreja e preferem manter as velhas amizades com pessoas não cristãs, por isso, é importante que o líder dê suporte aos novos membros, para que saibam que na igreja eles encontrarão amizades verdadeiras, que os levarão a novos patamares de fé.

Principais perigos das más companhias

Nesta ministração para jovens, podemos citar que a bíblia aponta três tipos de más companhias, os interesseiros, os lisonjeadores e os fofoqueiros. Estes três tipos de pessoas podem existir até mesmo dentro da igreja.

Os interesseiros são pessoas que estão ao nosso lado quando o assunto é festa, diversão, luxo etc. Confira três versículos que falam sobre isso.

  • Provérbios 14:20 – “o pobre é odiado até do vizinho, mas o rico tem muitos amigos”
  • Provérbios 19:4 – “as riquezas multiplicam os amigos; mas, ao pobre, o seu próprio amigo o deixa”
  • Provérbios 19:6 – “ao generoso, muitos o adulam, e todos são amigos do que dá presentes”

Outro perigo importante citar em uma ministração para jovens é o amigo lisonjeador, ou lisonjeiro.  São pessoas do sexo oposto que demonstram muito interesse em serem nossos amigos. Isso pode ser perigoso, por isso é importante termos limites mais firmes com pessoas do sexo oposto. Podemos ler sobre este tipo de amizade em Provérbios 2:16 e 17. “Para te livrar da mulher adúltera, da estrangeira, que lisonjeia com palavras, a qual deixa o amigo da sua mocidade e se esquece da aliança do seu Deus”.

Por fim, os amigos fofoqueiros também devem ser evitados, como é orientação em Provérbios 16:28 e 29 “Os maus provocam discussões, e quem fala mal dos outros separa os maiores amigos. O homem violento engana os seus amigos e os leva para o mau caminho”; e Provérbios 17:9 “o homem perverso espalha contendas, e o difamador separa os maiores amigos”.

Falar-em-público-ANIMADO

Exemplos de Jesus e Roboão.

Esta ministração para jovens foca mais as influências das amizades ruins, que podem nos fazer desviar de nossa fé. O líder, ou pregador, pode citar alguns exemplos pessoais de amizades que resultaram em problemas. A bíblia também  tem exemplos de amizades ruins. Em 1 Reis 12, lemos sobre Roboão e seus amigos. Roboão decidiu dar mais valor às opiniões de seus amigos do que às opiniões de pessoas experientes, o que acabou levando-o ao fracasso.

Outro bom exemplo sobre saber diferenciar os colegas dos amigos é de Jesus Cristo. Uma multidão o seguia, no entanto, enviou apenas sessenta, de dois em dois, para anunciar as boas novas. Repare que apesar de enviar sessenta, Jesus só tinha doze discípulos, e mesmo entre esses doze, apenas três eram mais próximos de Jesus, o que nos leva a pensar sobre os níveis de amizades que devemos ter.

Podemos, e devemos, ser generosos e amáveis com todos (com uma multidão de pessoas), mas tem alguns que confiamos mais e nos sentimos mais próximos (os sessenta). Até podemos andar com grupinhos de 10 ou 12 pessoas com frequência, mas não precisamos ser próximos de todos eles, podemos ser mais próximos apenas de dois ou três.

A finalização desta ministração para jovens sobre amizades perigosas pode ser feita com uma recomendação aos que querem fazer muitas amizades, e uma ajuda àqueles que se sentem sem amigos. Mostre que “menos é mais”, e que quando decidimos seguir Jesus, nossos amigos precisam ter este mesmo perfil, caso contrário seremos influenciados a fazer coisas que contradizem nossa fé cristã.

Outros textos nossos que podem contribuir para sua reunião:



2 comentários

  • Paulo

    Parabéns pela mensagem!

    Para mim, uma das coisas mais difíceis para assumir meu relacionamento com Deus, foi o fato de ficar pensando sobre o que meus “amigos” iriam pensar a respeito da minha decisão de mudar de vida. Hoje vejo que fiz a escolha certa colocando Deus em primeiro lugar e não as amizades.

  • Parabéns pelos conteúdos,
    Irá me ajudar bastante nesta difícil missão e que Deus continue lhe dando bastante inspiração para nos ajudar .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *