Por que fazer brincadeiras no culto infantil?

Share Button

Neste texto vamos ver porque é importante que os professores façam jogos e brincadeiras no culto infantil. É difícil conhecer uma igreja que, hoje, não tenha um departamento infantil, por isso, precisamos fornecer material de qualidade para este setor também. Se você é professor ou líder do departamento infantil de sua igreja, então precisa saber que é preciso investir tempo e dinheiro para criar uma boa estrutura e atender ás crianças adequadamente. Não podemos cair no erro do pensamento de “trabalhar com amor”, ou “primeiro abrimos, depois a gente estrutura”.  O próprio Jesus nos ensinou que ninguém deve iniciar uma obra sem antes calcular o material necessário – Lucas 14:28.

Em primeiro lugar vamos ressaltar que estamos utilizando o termo de culto infantil como sinônimo aula. Levando em consideração que o tempo dos cultos na maioria das igrejas é de aproximadamente duas horas (louvor mais pregação), o culto infantil precisa ter diversas atividades para que as crianças não fiquem entediadas, tornando a aula não produtiva. As brincadeiras são fundamentais para tonar a escola bíblica dominical – EBD – infantil produtiva e atraente para as crianças. Quando decide-se selecionar e escalar qualquer pessoa para a igreja infantil, sem a devida preparação, estamos perdendo a oportunidade de tornar a igreja um ambiente de aprendizado da Palavra de Deus e tornando essas aulas chatas e cansativas. O preparo do professor é um investimento que as igrejas evangélicas precisam fazer.

Um dos pensadores mais influentes sobre o comportamento infantil, Lev Vigostky, acredita que é através da brincadeira que a criança tem a melhor forma de conhecimento de mundo, de si mesma e tem o melhor estímulo para sua imaginação. No entanto, muitos professores acabam relegando as brincadeiras ao segundo plano. Quando focamos apenas as histórias e cânticos, deixamos de estimular uma forma importante de aprendizado, que é a brincadeira.

A própria lei brasileira prevê que a brincadeira é um direito da criança, de acordo com o Capítulo IV, artigo 59, do Estatuto da Criança e Adolescente.

Podemos dizer que ainda existe algum tipo de resistência a fazer brincadeiras no culto infantil, mas quando entendemos que esta é uma estratégia para levar conhecimento às crianças, podemos trabalhar melhor esta atividade.

Existem, ainda, professores que não realizam brincadeiras porque não são capacitados para isso, se sentem inseguros para realizar jogos e brincadeiras em suas aulas, por isso, o preparo e capacitação são fundamentais.

 

Dê liberdade às crianças 

Uma dica fundamental é dar certa liberdade para que as próprias crianças criem suas regras e discutem suas soluções para possíveis problemas que surjam. O professor pode dar sugestões e intervir quando houverem entraves.

Recomenda-se que o professor tenha a sensibilidade de perceber quando as regras não estão sendo bem assimiladas pelos alunos. Além disso, se as próprias crianças analisaram que as regras podem ser mudadas, o professor pode ver se a sugestão das crianças é viável. A participação das crianças é muito bom para o desenvolvimento delas mesmas.

Formação da autonomia 

As brincadeiras contribuem para o desenvolvimento infantil no sentido de torna-las pessoas autônomas. No culto infantil, a autonomia pode ser incentivada com brincadeiras nas quais as crianças possam tomar decisões e criar suas próprias formas de brincar.

Jogos de criar, blocos de montagem, casinha, bonequinhos ou outras brincadeiras que incentivem a criatividade podem servir para dar autonomia, pois com essas brincadeiras, além de estimular a criatividade, a criança consegue colocar em prática aquilo que está pensando, planejando. As crianças podem, por exemplo, criar seus próprios teatrinhos, histórias de fantoches e outras brincadeiras deste tipo.

As aulas do culto infantil não podem ser “quadradas” e imutáveis. Os professores devem saber oferecer condições para que as crianças se tornem autônomas, ou seja, saibam superar dificuldades por si mesmas.

curso_ebd hotmart

 

Participação comunitária 

As atividades comunitárias são essenciais no culto infantil. Brincadeiras e jogos em que um aluno ajuda o outro ou nas quais um depende do outro são ótimas oportunidades para ensinar sobre a convivência em grupo. Com as brincadeiras em grupo, o aluno aprende a respeitar as regras, esperar a vez do outro, compartilhar, não ser egoísta etc.

O desenvolvimento social faz parte do dia a dia da criança e as atividades em grupo também permitem que os adultos, em especial psicólogos, analisem o comportamento da criança com o grupo social para traçar algumas características de sua personalidade.

A convivência em grupo com os demais alunos do culto infantil faz que a criança conheça seus limites e saiba interagir conforme os problemas surjam. Às vezes, o simples ato de observar o comportamento das demais crianças, já basta para a criança aprender algo novo, ou entender como solucionar uma questão.

Desenvolvimento pessoal 

As atividades lúdicas ajudam o desenvolvimento infantil na personalidade e autoconhecimento da criança. As brincadeiras ajudam a desenvolver a comunicação, reflexão, criatividade, o sistema neurológico, cognitivo, melhora a coordenação motora etc. Tudo depende do professor selecionar as atividades adequadas. Por isso, a igreja deve disponibilizar alguns brinquedos, jogos e material adequado para que os professores possam desenvolver diferentes atividades lúdicas durante o culto infantil.

Mais uma vez mencionando Vigostsky, a brincadeira tem caráter principal na formação do sujeito. A imaginação, o faz de conta, colocar-se em papel diferente, estimula a criança a simular situações rotineiras na vida do ser humano.

Brinque e deixe brincar 

Neste pequeno texto entendemos que o culto infantil não deve ser um ambiente formal e que restrinja o desenvolvimento infantil, pelo contrário, fazer brincadeiras e jogos faz com o que as crianças se desenvolvam por completo. Queremos estimular os professores e líderes de ministério infantil a investirem um tempo do culto infantil para fazer as brincadeiras, realizar jogos e deixar as crianças se divertirem. Algumas igrejas preferem restringir o culto infantil à historia e desenho, deixando de lado uma parte importante do desenvolvimento da criança, a brincadeira. Acreditamos que separar um tempo para jogos e brincadeiras faz o culto infantil mais produtivo e atraente, além de contribuir de forma significativa para o crescimento da criança enquanto indivíduo.

Outras dicas que podem lhe ajudar a melhorar sua aula no culto infantil:




4 comments

  • Claudia Romero

    Que texto maravilhoso!!Ministro na educação infantil na igreja e o tema aqui abordado ressalta e valoriza os pontos básicos e fundamentais desse ministério onde as pérolas do reino escolhidas por Jesus(…” deixai vir a mim as criancinhas, pois delas é o reino dos céus”) são cuidadas e trabalhadas em prol do evangelho e de sua própria formação como cidadãos do reino! Parabéns, observei alto conhecimento e estudo qualificado sobre o tema…..muito bom! Deus continue jorrando dessa fonte inesgotável sobre sua vida!!!

  • Vanessa

    Parabéns! Texto excelente!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *