Ser pai exige tempo para brincar com filhos

Share Button

Com uma rotina cansativa, não percebemos que estamos deixando de ser pai presente, e nossa relação com filhos se resume a dinheiro e promessas para o final de semana. Nossa vida corrida pouco nos oferece tempo para nossos filhos, principalmente durante a semana. A relação de muitos pais e filhos acaba se restringindo a pouco contato de segunda à sexta (em muitos casos até sábado), restando apenas o domingo para uma aproximação. O pior é que neste dia, o que a maioria dos adultos querem é descansar; e não em ficar indo em parque, quadra, praia, casa de fulano ou cicrano. Neste texto vamos ver como é importante que os pais separem um tempo para brincar com seus filhos. A brincadeira em si já traz muitos benefícios para as crianças, mas a presença dos pais é ainda mais fundamental.

Outra dica valiosa é entender que estar em casa não significa que estamos dando atenção aos filhos. Ficar vendo televisão, ou no computador, evidentemente, não significa que você está dando atenção ao seu filho. Precisamos nos programar e comprometer em passar um tempo de qualidade com nossos filhos. Principalmente quando falamos de famílias cristãs. Se queremos passar valores ao nosso filho e queremos que ele cresça um verdadeiro cristão, devemos compreender que precisamos passar um bom tempo com ele, ser pai presente. Antes de continuar este texto, vamos deixar claro que o termo “pai” aqui também pode ser aplicado às mães, mas nosso incentivo maior é ao pai mesmo. Além disso, queremos incentivar que pai e mãe também tenham atividades independentes com seus filhos, ou seja, um tempo só da mãe com o filho, depois, outro tempo só do pai com o filho. Isso também vale para quem tem mais de um filho. Você precisa programar um tempo a só com cada um de seus filhos. Isso porque cada filho precisa de uma brincadeira, uma atividade, uma conversa de acordo com sua faixa etária. Não dá para brincar da mesma coisa com um filho de doze anos e uma filha de cinco, por exemplo.

banner tempo cópia

Mais textos sobre este assunto disponíveis em nosso site:

Valor das brincadeiras

É através das brincadeiras que as crianças começam a entender seu papel no mundo. Seu comportamento social e sua personalidade, por exemplo, podem ser desenvolvidas com as brincadeiras. Observando nossos filhos brincando também podemos entender melhor seu jeito de pensar e de se relacionar com o mundo, por isso, brincar com o filho também é importante para o próprio pai conhecer melhor a personalidade de se filho.

Se você quer ser pai que estimula seu filho, precisa saber oferecer brincadeiras adequadas para cada faixa etária. Leia, pesquise e estude quais as melhores brincadeiras para seu filho, de acordo com a idade dele. Nos primeiros anos, principalmente, as preferências da criança mudam em poucos meses. Uma brincadeira que a criança adora agora, já perderá a graça em dois ou três meses.

As brincadeiras também ajudam no desenvolvimento cognitivo e motor das crianças. Brincar de restaurante, casinha ou cavalinho podem parecer bobos para nós, mas para a criança é uma grande lição de coordenação, equilíbrio, autoconhecimento e aprendizado de mundo. As crianças menores, por exemplo, podem aprender muito simplesmente observando e brincando com água ou areia.

A presença do pai

Brincar com blocos de montar pode ser bem mais interessante com a companhia dos pais. As crianças menores, sozinhas, vão observar e tentar descobrir para que serve cada brinquedo, mas com os pais, ela vai compreender a função de cada brinquedo os porquês de algumas coisas e vai compreender os padrões. O desenvolvimento cognitivo é estimulado quando um adulto está junto, brincando e participando.

Com crianças maiores, a companhia do pai traz segurança, ao mesmo tempo que lhe mostra uma autoridade por perto. Com nove, doze ou quinze anos, a criança ainda precisa realizar algumas tarefas acompanhada de seus pais. Não só por insegurança, mas, como explicado anteriormente, também porque o pai vai “lendo” o comportamento de seu filho, sua personalidade.

A missão de ser pai abrange o lado psicológico e pedagógico. Através das brincadeiras, o pai pode observar condutas que a criança precisa corrigir, como excesso de egoísmo, que é normal em determinada faixa etária, mas que já precisa ser corrigida ao crescerem.

A presença do pai nas brincadeiras não se resume a vigiar e corrigir. O lado social é estimulado, pois, certamente, com o pai, a criança adota uma postura bem diferente do que quando está apenas com seus amigos.

aleitamento cópia

Dicas de planejamento

Talvez, você até deseja passar mais tempo com seu filho, mas sua rotina não possibilita. Então vamos dar algumas dicas para você ser pai mais presente.

  • Organize a agenda

Tente fazer uma agenda semanal, destacando alguns horários que você pode se dedicar ao seu filho. Às vezes achamos que precisamos ficar horas, e não temos tempo para isso, principalmente de segunda à sexta. Se você começar com cinco ou dez minutos  já é um começo. Como disse o profeta Zacarias, não despreze o início das pequenas coisas (Zacarias 4:10).

  • Combine com a criança

Se seu filho é muito pequeno, esse passo não precisa ser seguido à risca, mas se seu filho já tem noção de horas, você pode explicar para ela quando você estará disponível. Infelizmente, raramente podemos ficar o tempo que queremos com nossos filhos. Explique que você precisa terminar a janta, tomar banho ou se trocar antes de brincar. A criança vai começar a compreender uma certa rotina e vai ficar menos ansiosa pela sua atenção. Claro que você precisa cumprir sua palavra.

  • Saia de casa

Muito cansado, ou acabou de fazer a faxina? Sair de casa, dar uma volta, com seu filho também conta como tempo de qualidade. O que conta é o tempo que vocês passam juntos.

  • Pai e mãe devem se ajudar

Sempre tem aquele jogo que você quer ver. Também tem aquele dia que a mamãe precisa fazer a unha e o cabelo. Pai e mãe precisam se comunicar bem e um pedir ajuda para o outro. Mas a prioridade é sempre seu filho, e não você.

A criação de uma criança é responsabilidade inteira do pai e da mãe, mas um dia ou outro é bom contar com ajuda do tio ou da sogra. Até mesmo para o romance do casal não ser prejudicado em razão dos filhos. Ressaltamos, apenas, que não se deve transferir a criação a terceiros, pois a forma de impor autoridade, de castigar de alimentar ou de dar carinho dos pais é bem diferente dos avôs ou tios.

  • Nada de tecnologia

Se pai e filho adoram vídeo game, isso não significa que o tempo de qualidade é jogar uma hora de vídeo game com seu filho. Também não vale assistirem televisão juntos. Ser pai exige esforço de sair da zona de conforto. Sempre planeje tempo para fazer atividades sem tecnologia. Jogar bola, conversar, jogar jogo de tabuleiro, brincar de boneca. Não importa a brincadeira, mas evite passar este tempo de qualidade com seu filho em torno da tecnologia.

  • Brinque e não brinque

Por fim, nossa última dica para ser pai presente, queremos ressaltar que além de brincar, o pai deve usar este tempo a sós com o filho para conversar, ajudar e até pedir ajuda.

Não é todo dia que estamos inspirados. Uma o duas vezes por semana, você pode usar este tempo para (como sugerido antes) dar uma volta, conversar e até arrumarem o quarto. O contato é indispensável. A conversa, o diálogo, deve ser constante e fluente.

O fundamental para você ser pai presente é dedicar-se. E isso significa também ler e estudar. Compre livros sobre educação ou pedagogia. Você não precisa ser especialista no assunto, mas quando temos vontade, queremos aprender mais. Tenha certeza que depois que você ler os primeiros textos, vai se empolgar e buscar muito mais.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *