Tenha coragem quando estiver falando de Jesus 

Share Button

Ao observarmos outra pessoa falando de Jesus com desembaraço e confiança, nos sentimos encorajados a seguir o exemplo, no entanto, quando temos a oportunidade, muitas vezes não conseguimos fazer o mesmo, ou pensamos que não tivemos o mesmo êxito. Não temos a pretensão de ensinar segredos ou métodos revolucionários, mas sim ressaltar alguns pontos que caem no esquecimento quando queremos evangelizar alguém. Antes de abrir a boca, nos sentimos com medo, sem saber ao certo o que dizer; quando começamos a falar, parece até que estamos perdendo o fio da meada, e depois nos sentimos fracassados porque achamos que não conseguimos falar de Cristo como gostaríamos.

O primeiro grande problema que enfrentamos para evangelizar, ou falar do amor de Deus para alguém, é nos compararmos com os outros. Queremos ser como o fulano, que parece tão bom falando de Jesus para os outros. Devemos ser naturais e simples. Quando pensamos que poderemos ser questionados, ou que podem achar que falaremos como “fanáticos”, começamos a fraquejar. Sonhamos em ser um grande evangelista como “este ou aquele” pregador. Você não precisa fazer parte do grupo de evangelismo da igreja para ser um evangelista. Você, eu, todos nós só precisamos ser naturais e, em primeiro lugar, absorver o amor de Deus para transmitirmos aos outros este amor.

A importância de nosso testemunho 

Vamos tomar para base deste texto, o seguinte versículo:

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta. Tiago 2:26 

Aqui aprendemos que quando recebemos o amor de Deus, nossos corações transbordam para demonstrar este amor. As obras aqui mencionadas são aquelas que fluem naturalmente de nós. Alguns fazem a obra através do louvor, outros ajudando no departamento infantil, outros trabalhando como atalaia, outros no evangelismo e assim por diante. Para deixar isso mais claro, podemos lembrar dos dons do Espírito, mencionados em Romanos 12. Alguns tem o dom da palavra de sabedoria e outros de profecia. Da mesma forma, um tem o dom de evangelizar pessoas na rua, outros de evangelizar pessoas próximas. Falar do amor de Cristo não deve ser um peso, mas sim um prazer. Por isso, precisa ser natural. Precisamos nos encher do amor de Deus, para que possamos transbordá-lo naturalmente.

Talvez você não perceba, mas você já está falando de Jesus quando se comporta como um cristão em casa, na escola, na faculdade ou no trabalho. Este comportamento é observado pelos outros, por uma legião de testemunhas, e quando você tiver a oportunidade de falar de Deus, sua voz terá mais credibilidade.

Um erro muito comum é querer evangelizar como pessoas que estão nesta jornada há anos, muito mais tempo que nós. Precisamos começar nos empenhando em ser cristãos com bom testemunho em todo lugar para, a partir daí, criar a confiança que precisamos para demonstrar autoridade quando estivermos falando de Jesus.




O exemplo de Moisés 

Ao lermos Êxodo 4, vemos que Moisés estava com medo de ser o interlocutor entre o Criador e o povo. Chegou a dizer que tinha a língua pesada. Por isso, pediu ajuda, e o Senhor lhe ofereceu Arão como seu companheiro para falar a Israel. O que podemos entender aqui é que existem outras pessoas que estão em nosso caminho para nos ajudar. Deus conhece nossas habilidades e nossas fraquezas. Reconhecer nossos pontos fracos é fundamental para sermos dependentes de Deus. Se sabemos que não somos bons com as palavras, que não temos muita eloquência no falar, isso nos torna mais submissos.

Existe um perigo muito grande quando nos achamos capacitados. Podemos nos tornar “independente” de Deus. Se achamos que já temos muito conhecimento, podemos achar que não precisamos da ajuda do Criador quando estamos falando de Jesus para os outros. Basta nosso conhecimento adquirido com tempo. Um grande erro. Entender que temos pontos fracos é importante para “manter nossa humildade”.

Ajuda de outros 

Ainda sobre o exemplo de Moisés, podemos ver que Arão foi colocado ao seu lado para auxiliá-lo. Quando iniciamos um trabalho, pessoas com mais experiência, ou desenvoltura para essa obra são colocadas ao nosso lado. Conhecendo as limitações de Moisés, o Senhor lhe concedeu um ajudador, Arão. Por isso, é importante nosso convívio na igreja. Ali receberemos ajuda de outras pessoas para iniciarmos nossa obra. Seja ela louvar, dar aula, evangelizar ou qualquer outra coisa. Se queremos ter coragem para falar de Deus, precisamos estar próximos de pessoas que sejam exemplos quando estão falando de Jesus para os outros.

O exemplo de outras pessoas é fundamental para que nós também possamos desenvolver nosso potencial. Assim como uma pessoa recém formada vai aprendendo sua profissão com os mais velhos e com a própria prática do dia a dia. Assim, a obra é aperfeiçoada com o tempo. Conforme a gente participa, nossas habilidades melhoram. Mesmo porque a rotina nos faz aprender a superar novos desafios e lidar com diferentes tipos de situações. Só aprenderemos a falar de Jesus falando de Jesus, não existe outra forma. No começo não saberemos bem o que falar, quando falar e nem como, mas aos poucos, isso vai mudando e nós começamos a melhorar nossa forma de falar do amor de Cristo.

Espírito Santo 

Para finalizar, vamos falar do principal, o agir do Espírito Santo. Quando Jesus estava prestes a ir para o Reino Eterno ele nos orientou diversas vezes que não deveríamos nos preocupar com o que falar, pois o Espirito Santo iria nos orientar. Isso é o principal de tudo. Como dito antes a experiência e a prática podem ser de grande auxílio, mas é o poder do Espírito Santo que nos oferece a segurança para usar as palavras certas, na hora certa. Mantenha-se submisso ao Espírito Santo. Por isso, a autoconfiança em determinadas situações não é boa, pois é bom que pensemos sempre que dependemos do Espírito de Deus sobre nós e não de nossas habilidades.

Queremos que o amigo leitor pense como é natural o evangelho, e como falar de Deus para as pessoas deve ser gratificante, desde que não comecemos a nos comparar com os outros. Não se sinta diminuído ou insignificante ao ver grandes evangelistas falando de Jesus para multidões, pois quem capacita o homem é o Espírito Santo. Se estamos em um só corpo, não devemos sentir medo ou incapacidade, mas devemos glorificar a Deus porque existem pessoas com tamanha capacidade de evangelizar. O que importa é que o evangelho seja pregado. Achamos que só estamos sendo usados por Deus quando estamos falando de Jesus para multidões, o que não é verdade. Absorva o amor de Deus e seja você mesmo um testemunho de sua graça.

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *